16.7.14

Modelo Vivo, 2014


espaço para prática de desenho de modelo vivo
dimensões variáveis


Modelo Vivo é um espaço para desenho de modelo vivo composto por cavaletes, bancos, blocos de papel, material de desenho e tablado. O tablado não é ocupado por modelos, mas por artistas que apresentam ações de sua autoria e, dessa forma, substituem o papel do corpo como mero objeto estático de observação por uma performance em movimento a ser desenhada pelo público. 

Para os desenhos, há blocos de papel cujas folhas são impressas com uma lista de obras de artes visuais que nas últimas décadas questionaram o significado do corpo, passando a não ser mais entendido como objeto a ser representado, mas sim como instrumento, suporte, matéria ou obra em si. A mancha de texto é impressa em um cinza claro, como uma marca d'água, e os desenhos são feitos sobre essas referências históricas. 

Acima, modelo do papel disponível para os desenhos, nos cavaletes. 
Clique sobre a imagem para aumentá-la.

Modelo Vivo é uma obra que se configura em várias camadas: na instalação propositiva; na ação autoral de cada performer; nas características específicas que podem surgir numa ação feita para ser desenhada, além de vista; na relação triangular entre performers, público que desenha e público que assiste a ação; nos próprios desenhistas fazendo parte da performance; nos desenhos produzidos; na natureza de registro de performance que esses desenhos adquirem. 

Modelo Vivo foi montada pela primeira vez na Verbo 2014, mostra de performances da Galeria Vermelho, recebendo as ações “escultura nº 17 da série ASCO”, de Daniel Fagundes; “sumo”, de Júlia Rocha; “Macaquinhos”, de Caio, Mavi Veloso e Yang Dallas e “solo”, de Beatriz Sano e André Menezes. 

A seguir, “escultura nº 17 da série ASCO”, de Daniel Fagundes, trabalho apresentado no primeiro dia da Verbo 2014, em 15 de julho de 2014. 










Nas imagens abaixo, Modelo Vivo recebe “sumo”, de Júlia Rocha, no segundo dia de ações e performances da Verbo 2014, em 22 de julho de 2014. 











Em 29 de julho de 2014, Modelo Vivo recebeu "Macaquinhos", trabalho com concepção de Caio, Mavi Veloso e Yang Dallas, realizado por com Ana Carolina Pires, Andrez Lean Ghizze, Caio, Luiz Gustavo Lopes, Rafael Amambahy, Teresa Moura Neves e Yuri Tripodi.  


















Ainda na VERBO 2014, Modelo Vivo recebeu, em 05 de agosto de 2014, "solo", de Beatriz Sano e André Menezes





Em março-abril do 2015, Modelo Vivo participa da exposição Poipoidrome, da Trienal de Artes do SESC Sorocaba. Para esta segunda montagem de Modelo Vivo, foram convidados artistas de Sorocaba, a quem sou extremamente grato por aceitarem participar do projeto, em um total de 15 performances. Abaixo, a programação com todas as ações. Clique sobre a imagem para aumentá-la.  



A seguir, imagens da primeira ação, Estudos Sobre a Onça - 1, de Eros Valério.






Abaixo, Circular Equus Caballus, de Douglas Emilio, que aconteceu em 11.03.2015. Valério.







A seguir, imagens de Besta (2015) de Joana Ferraz, cru (2016) de Júlia Rocha e Conversation (2016), trabalho em dupla das duas artistas, apresentados na montagem de Modelo Vivo no SESC São Carlos, em 11.03.2017, dentro da programação de FestA.